Nintendo 3DS vai ficar mais barato e custar US$ 169,99

28/07/2011 08:40 por Leandro Alves
Categorias         

Atualmente o maior problema do Nintendo 3DS é o seu preço, afinal ele foi lançado por US$ 249,99 que é considerado muito caro para um portátil. Como o Nintendo 3DS está vendendo abaixo do esperado a Nintendo resolveu tomar uma atitude e vai baixar o preço do console, que a partir de 12 de agosto vai passar a custar US$ 169,99 nos Estados Unidos, mas o preço vai baixar de maneira similar em todo o mundo.

Sem dúvida a Nintendo não brincou em serviço e fez uma grande redução no preço do Nintendo 3DS, afinal foi uma redução de US$ 80 que foi cerca de 32% a menos.



E a Nintendo vai recompensar quem já têm um Nintendo 3DS e pagou mais caro por ele, e vai dar 20 jogos de graça da Nintendo eShop sendo 10 de NES e 10 de GameBoy Advance no Nintendo 3DS Ambassador program. Os jogos serão disponibilizados a todos que se conectarem na Nintendo eShop até as 23:59 do dia 11 de agosto.

A partir do dia 1 de setembro quem estiver participando do programa poderá baixar 10 jogos clássicos de NES, que incluem Super Mario Bros., Donkey Kong Jr., Balloon Fight, Ice Climber e The Legend of Zelda. E no final do ano poderá baixar os 10 jogos de Game Boy Advance, que incluem Yoshi's Island: Super Mario Advance 3, Mario Kart: Super Circuit, Metroid Fusion, WarioWare, Inc.: Mega Microgame$ e Mario vs. Donkey Kong.

Gostei bastante da atitude da Nintendo em tentar premiar que comprou o Nintendo 3DS logo após o lançamento, ainda mais que a seleção de jogos está ótima e têm alguns dos melhores jogos do NES e GameBoy Advance. Mas eu particularmente prefiro esperar e comprar o console pelo novo preço, afinal a diferença de preço é muito grande.
Receba mais sobre "Nintendo 3DS vai ficar mais barato e custar US$ 169,99" e outros assuntos interessantes gratuitamente no seu e-mail.
Não se esqueça de confirmar seu cadastro, basta clicar no link que será enviado para seu e-mail.
Ou se preferir você pode receber por RSS ou pelo Twitter.


Compartilhe a notícia: