[Análise] Titan Quest para Nintendo Switch

12/11/2018 18:45 por H. Sanchez
Categorias      

Titan Quest é um RPG de ação com visão isométrica desenvolvido pelo estúdio Iron Lore e publicado pela THQ Nordic, teve sua estreia no PC no ano de 2006, naquela época o game já trazia bastante conteúdo, um enredo decente, boa jogabilidade e um sistema de múltiplas classes que conferia ao título uma excelente opção de entretenimento aos fãs de aRPG.

O game ganhou uma versão “remasterizada” para computadores em 2016, chamada de Anniversary Edition, que foi posteriormente portada para os consoles da atual geração, Playstation 4, Xbox One e depois de um tempo chegou a vez do console Nintendo Switch; que inclusive, foi a versão utilizada para esta análise.

Titan Quest para Nintendo Switch

Titan Quest para Nintendo Switch

Titan Quest para Nintendo Switch

Para quem ainda não conhece, em TItan Quest o jogador controla seu personagem em uma épica jornada em que terá que enfrentar monstros e criaturas mitológicas pelos mais variados destinos antigos (Grécia, Egito e Ásia). Como um bom RPG de ação o jogador vai evoluindo o personagem, progredindo suas habilidades e atributos, e principalmente, irá se divertir bastante no “loot” em busca de um determinado conjunto de armadura.

Tendo jogado o título em seu lançamento em 2006, e ainda jogá-lo até hoje em sua Anniversary Edition da Steam, movido pela paixão e nostalgia, não pensei duas vezes em adquirir o título quando este foi lançado na eShop do Nintendo Switch. E pronto, após um download de 7 GB, lá estava eu jogando Titan Quest nas palmas das minhas mãos. Porém nem tudo foi felicidade, deparei com um jogo que apesar de ter envelhecido extremamente bem, e ainda possuir uma estética boa, cobra um preço caro para tanto: o jogo corre a 30 FPS e podemos facilmente perceber (principalmente no modo portátil) algumas quedas de frames, que chegam a beirar infames 20 FPS em alguns trechos, o que prejudica bastante a experiência suave originalmente fornecida pela versão de computador. Apesar das limitações de hardware do Nintendo Switch, e tomando como exemplo o gameplay extremamente fluído de outro aRPG mais novo recentemente portado para o console da Nintendo, Diablo III (que consegue oferecer uma experiência a 60 FPS constantes, inclusive no modo handheld), apenas deixa mais claro o fato de Titan Quest não ter sido portado de uma maneira feliz, e em uma breve pesquisa percebi que tanto as versões de Playstation 4 e Xbox One também sofrem de quedas de quadros, uma pena.

Apesar de ter presenciado apenas um problema técnico em cerca de 18 horas in-game: um crash/congelamento que acarretou o fechamento do jogo no console, percebi que diversas pessoas relatam que a ocorrência de tal bug é comum.

A jogabilidade originalmente “redonda” do mouse e teclado no PC não foi transportada em sua totalidade para a versão dos consoles e seus respectivos joysticks, e passa longe de oferecer uma experiência fluída no combate, o que resulta em uma jogabilidade truncada que dificulta um pouco na entrega da diversão. É necessário ressaltar que mesmo no computador, o game por se manter fiel à versão de PC de 2006, por si só já possui uma mecânica um pouco arcaica se comparada a outros aRPGs mais atuais, o que ao meu ver não é suficiente para retirar a diversão e fluidez proporcionada pelo jogo, porém infelizmente o mesmo não pode ser dito sobre a versão de console analisada.

Por sorte da produtora THQ, a essência do game, o bom enredo, as batalhas épicas contra os mais diversos e variados inimigos e bosses, bem como o excelente sistema de progressão permanecem lá, inalterados, e acaba sendo possível relevar e ignorar alguns dos seus defeitos.

A adição do modo cooperativo local foi extremamente bem-vindo, fornecendo a opção de deixar a tela em split-screen (pena que sobrecarrega um pouco o já sofrível desempenho). Existe também a opção para jogar online com amigos.

Pena que o jogo na versão do Nintendo Switch esbarra em outro contraponto, o preço proibitivo: o título custa 39,99 dólares na eShop estadunidense, deixo claro aqui que o mesmo jogo em sua versão para PC é vendida na Steam por R$ 36,99.

Conclusão/conselho de amigo: quer jogar um excelente aRPG em sua essência, relembrar os tempos áureos do gênero na época dos primeiros Diablos? Jogue Titan Quest Anniversary Edition em seu computador e seja feliz. Caso possua somente um Nintendo Switch, aguarde um corte no preço, pois o estado atual do jogo não é compatível com o seu valor cobrado.

Nota: 3/5 - Regular

Ficha Técnica
Título: Titan Quest
Plataformas: PC, PlayStation 4, Xbox One, Android, iOS, e Nintendo Switch (versão analisada).
Desenvolvedora: THQ Nordic
Distribuidora: THQ Nordic

Pontos positivos:
- História
- Sistema de progressão/classes interessante
- Excelente opção de aRPG no Switch
- Split-screen

Pontos negativos:
- Preço incompatível com o produto apresentado
- Crashes recorrentes (mesmo após último update)
- Quedas constantes de quadros
- Adaptação dos controles poderia ter sido melhor executada
- Idioma: Inglês (não possui suporte a PT-BR)


Receba mais sobre "[Análise] Titan Quest para Nintendo Switch" e outros assuntos interessantes gratuitamente no seu e-mail.
Não se esqueça de confirmar seu cadastro, basta clicar no link que será enviado para seu e-mail.
Ou se preferir você pode receber por RSS ou pelo Twitter.


Compartilhe a notícia: