Minhas impressões da Brasil Game Show 2014

14/10/2014 09:14 por Leandro Alves
Categorias                     

A Brasil Game Show 2014 pode não ter as grandes novidades do ano passado mas mesmo assim a feira foi imperdível para quem gosta de jogos. Afinal aqui no Brasil são raras oportunidades que temos de conhecer algum jogo antes do lançamento, além disso ela é a maior feira de jogos da América Latina e por isso sempre consegue surpreender a gente com algo interessante.



Este ano pude ir pela segunda vez na BGS, visitei a feira na quarta feira que é o dia reservado para jornalistas, convidados e portadores de ingressos vip. Por isso não estranhe que tudo está meio vazio nas fotos, nos outros dias a feira é bem mais cheia!

Fiquei cerca de 8 horas na feira e nem preciso dizer que aproveitei para jogar tudo que achei interessante, mas infelizmente o dia passou voando e fiquei com a sensação de que teria que ir mais de um dia para ver tudo o que tenho vontade de conhecer.



Desta vez não fui sozinho e tive a companhia de dois grandes amigos, o Matheus que vocês já conhecem das participações no JogoramaCast, e o Henrique que é um amigo de longa data, para ter ideia a primeira vez que joguei NES foi na casa dele. Na foto abaixo o Henrique está do lado esquerdo e o Matheus do lado direito.



Vou fazer um breve relato de alguns estandes e suas principais atrações. Não espere uma análise dos jogos, afinal pude jogar poucos minutos e quero passar apenas minhas primeiras impressões.

Activision
O estande da Activision era dividido em duas partes, uma para o Call of Duty: Advanced Warfare e outra para Destiny, ambos os jogos estavam em modo multiplayer entre os vários consoles (ou PCs afinal não tenho certeza) disponíveis.



O Call of Duty: Advanced Warfare tem como grande novidade a armadura futurista, que permite pular numa altura enorme e até mesmo matar inimigos com um único golpe. Joguei uma partida multiplayer no modo Capture the Flag, no começo estranhei um pouco os saltos do personagem mas logo peguei o jeito e comecei a tirar proveito da nova habilidade, pena que não sou acostumado a jogar multiplayer do Call of Duty e por isso perdi a conta do número de vezes que morri na partida.





Já fazia algum tempo que eu estava curioso para jogar Destiny, afinal desde o lançamento ele se tornou sucesso de público e de crítica, por isso não perdi a oportunidade e joguei duas partidas.

Joguei no modo Capture the Flag em equipe, infelizmente na primeira partida a equipe estava bem desentrosada e só na segunda partida é que começamos a jogar melhor e o jogo ficou muito mais interessante!







Evolução do Videogame
O estande de evolução do Videogame era repleto de máquinas de fliperama, na sua grande maioria baseados no Neo Geo como o King of Fighters e Metal Slug. Os visitantes podiam jogar a vontade qualquer máquina sem ter que se preocupar com fichas, como sou um grande fã de fliperamas aproveitei para relembrar de alguns clássicos.







CD Project Red
O grande destaque no estande da CD Project Red era uma demo em vídeo do The Witcher 3: Wild Hunt, que possui 45 minutos e era exibido numa sala fechada. Não vou negar que eu já estava na expectativa pelo jogo, e o vídeo só aumentou minhas expectativas.

Outra atração era o The Witcher: Battle Arena, que é um Moba baseado no universo do The Witcher.





Devolver
No estande da Devolver era possível jogar uma demo do Hotline Miami 2, que possuia duas fases completas. Além disso tinha uma mesa com as máscaras e armas usadas no jogo, muita gente aproveitou para tirar fotos!









Galápagos Jogos
No estande da Galápagos Jogos pude conhecer alguns dos jogos de tabuleiro modernos, já tinha ouvido falar sobre eles mas ainda não tinha visto pessoalmente. Alguns jogos que estavam sendo exibidos eram o Ticket to Ride, Guerra dos Tronos Board Game, Zombicide, Eldritch Horror e Summoner Wars.

Gostei bastante de poder ver alguns dos jogos expostos em vitrines, afinal dava para ver perfeitamente como é o tabuleiro e as peças do jogo e fica bem mais interessante que ver apenas a caixa.









Konami
Fiquei um pouco frustrado com o estande da Konami, afinal só era possível jogar o PES 2015. Além disso tinha um belo cartaz da evolução da série Metal Gear, e um vídeo do Metal Gear Solid V: The Phantom Pain.







Microsoft
O estande da Microsoft era um dos maiores da feira, e chama a atenção por ser mais fechado que os outros e todo pintado de verde e com vários logotipos do Xbox.

Um dos jogos que pude conhecer foi o Sunset Overdrive, joguei uma partida multiplayer onde o objetivo era proteger dois reatores de várias ondas de ataque de mutantes. Gostei bastante do jogo, é muito colorido e divertido e com uma ação rápida e controles simples.

Próximo aos consoles tinha uma daquelas máquinas de medir força, onde você tem que bater com o martelo. Nem sei se ganhava algo, mas aproveitei para experimentar, nunca tinha visto uma dessas pessoalmente.

Outro jogo que aproveitei para jogar foi o Forza Horizon 2, que era um dos jogos com mais consoles disponíveis. Joguei na primeira corrida do jogo e escolhi a Lamborghini Huracán igual ao da capa, achei o jogo em si bem divertido com bons controles e semelhante ao primeiro Forza Horizon.























PlayStation
O estande do PlayStation também era um dos maiores da BGS, e assim como aconteceu no ano passado era vizinho ao estande da Microsoft.

Aproveitei para jogar o inFamous: First Light, sou fã da série e queria muito ver como o novo jogo ficou. O jogo possui ótimos gráficos e linfos efeitos de luz, o que não é de se estranhar afinal ele é baseado no inFamous: Second Son, só que o grande diferencial é que agora você joga com a Fetch.

Também aproveitei para assistir uma demonstração do Little Big Planet 3 feita por um dos produtores, onde foi demonstrado como funciona o modo colaborativo para quatro jogadores, uma coisa que gostei é que vários quebra cabeças permitem mais do que uma solução e assim você não fica dependente de uma habilidade específica de algum dos personagens.

















RedZero
Gostei bastante de assistir o trabalho de um escultor da RedZer que criava um personagem ao vivo, repare nos detalhes de cada uma das esculturas!













Saitek/Mad Catz
A Saitek demonstrou sua linha de joysticks para simuladores de voo, infelizmente não pude testar mas não dá para negar que deve ser incrível jogar um simulador de voo usando qualquer um desses joysticks!















O estande ainda tinha vários teclados e mouses da Mad Catz que eram específicos para jogos.





Saraiva
O estande da Saraiva além da loja também tinha algumas atrações bem interessantes, como estátuas de vários super heróis, e também uma réplica do famoso trono de ferro do Game of Thrones.

Eu aproveitei para comprar o Smash Bros do Nintendo 3DS, como era lançamento o preço era exatamente o mesmo que se via nas outras lojas mas pelo menos ganhei uma caneca.











Ubisoft
O estande da Ubisoft era bem grande e dividido em várias partes, cada uma decorada de acordo com o jogo em destaque.

Comecei jogando o Assassin's Creed: Rogue, que é bem semelhante aos jogos mais atuais da série, tanto em mecânica como no visual. Infelizmente a fila demorou bastante, por isso acabei não jogando o Assassin's Creed Unity.







No estande do Just Dance 2015 era possível jogar a versão para Xbox One usando o Kinect, mas como sou timido só assisti o pessoal jogar!



O jogo que mais gostei de jogar foi o Far Cry 4, na demo você tinha que invadir uma vila e assim que começou já avistei os elefantes num lago próximo, imediatamente me lembrei que dá para montar no elefante e por isso não perdi tempo para garantir um elefante. É bem divertido jogar com ele, afinal você pode ir simplesmente atropelando e derrubando tudo o que aparece no seu caminho!

Um outro destaque foi um triciclo igual ao que aparece no jogo, repare que tinha até um cartaz apoiando o ditador Pagan Min.











WB Games
Quando cheguei no estande da WB Games já fui direto no jogo que eu mais aguardava: o Mortal Kombat X. Infelizmente não pude jogar uma partida versus pois um dos joysticks estava descarregado, mas joguei algumas partidas no modo single player. Demorei um pouco para aprender os golpes e apanhei muito no começo, mas depois peguei o jeito e cheguei a ganhar um round.

O jogo ainda estava com poucos personagens, quatro personagens novos e mais os veteranos Sub-zero e Scorpion. Acabei jogando com o Sub-zero, afinal é um costume que tenho desde o primeiro jogo de jogar com o Sub-zero!

Outras atrações do estande eram o Dying Light e Resident Evil Revelations 2, mas acabei não jogando por falta de tempo.

Infelizmente não tirei tantas fotos como gostaria do estande, só algumas do Matheus jogando Disney Infinity: Marvel Super Heroes.





Esse foi o meu relato do primeiro dia da BGS 2014, infelizmente demorou um pouco para ficar pronto afinal é demorado organizar tantas informações e fotos, para vocês terem ideia eu tirei mais de 100 fotos. Pelo menos consegui mostrar um pouco das novidades que puder ver e conhecer no evento.

Nem preciso dizer que vale muito a pena ir na Brasil Game Show, e sem dúvidas eu pretendo voltar no ano que vem! Alguém aqui foi na BGS? O que achou do evento?
Receba mais sobre "Minhas impressões da Brasil Game Show 2014" e outros assuntos interessantes gratuitamente no seu e-mail.
Não se esqueça de confirmar seu cadastro, basta clicar no link que será enviado para seu e-mail.
Ou se preferir você pode receber por RSS ou pelo Twitter.


Compartilhe a notícia: