Terra-Média: Sombras da Guerra vai remover microtransações

03/04/2018 19:56 por Leandro Alves
Categorias            

A WB Games resolveu remover todas as microtransações de Terra-Média: Sombras da Guerra, desde o lançamento do jogo a seis meses atrás elas se mostraram muito impopulares por atrasar o progresso do jogador para incentivar a gastar dinheiro de verdade.

Terra-média: Sombras da Guerra

A desenvolvedora Monolith Productions soltou um comunicado oficial sobre o assunto: "A promessa central do Sistema Nêmesis é a habilidade de construir relacionamentos com seus aliados e inimigos num mundo aberto e dinâmico. Embora comprar Orcs no Mercado seja mais imediato e oferece opções adicionais aos jogadores, nós percebemos que oferecer essa escolha ameaçava enfraquecer o coração do nosso jogo, o Sistema Nêmesis. Isso permitia perder histórias incríveis que você teria criado de outras maneiras, e compromete as mesmas histórias mesmo que você não compre nada. Simplesmente perceber que eles estão disponíveis para compra reduz a imersão no mundo e tira o desafio de construir seu próprio exército e fortaleza. Para restaurar completamente a promessa do Sistema Nêmesis, nós vamos permanentemente remover Ouro, Baús de Guerra e o Mercado de Sombras da Guerra. Isso significa que a opção de comprar Ouro com dinheiro real e a habilidade de ganhar seguidores Orc de Baús de Guerra será removida. Haverá um tempo específico dado aos jogadores para utilizar o Ouro não utilizado. Se os jogadores tiverem Ouro não utilizado até o fim do período determinado para gastá-lo, qualquer Ouro que sobrar será convertido em itens dentro do jogo".

A habilidade de comprar Ouro será encerrada em 8 de maio, já a remoção completa dos Baús de Guerra e o Mercado será em 17 de julho.


Receba mais sobre "Terra-Média: Sombras da Guerra vai remover microtransações" e outros assuntos interessantes gratuitamente no seu e-mail.
Não se esqueça de confirmar seu cadastro, basta clicar no link que será enviado para seu e-mail.
Ou se preferir você pode receber por RSS ou pelo Twitter.


Compartilhe a notícia: