Confira os requisitos mínimos e recomendados para jogar Assassin's Creed Origins no PC

07/10/2017 23:03 por Leandro Alves
Categorias         

A Ubisoft revelou as configurações mínima e recomendada de Assassin's Creed Origins para PC, destacou que elas são muito semelhantes ao do Assassin’s Creed Syndicate, que foi lançado a dois anos atrás, por isso a quantidade de máquinas capaz de rodar o jogo será maior que nunca. Mas quem tiver um computador poderoso o suficiente, poderá rodarem resoluções de até 4K.

O jogo usa uma técnica chamada dynamic resolution rendering, que em momentos de muita carga diminui a resolução para manter a taxa de frames constante. Será possível escolher entre 30, 45, 60, 90 ou sem limite de FPS.

Screenshot de Assassin's Creed Origins

Configuração mínima
Sistema operacional: Windows 7 SP1, Windows 8.1, Windows 10 (apenas versão 64-bits)
Processador: Intel Core i5-2400s @ 2.5 GHz ou AMD FX-6350 @ 3.9 GHz
Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 660 ou AMD R9 270 (2048 MB VRAM com Shader Model 5.0)
Memória: 6GB de RAM
Resolução: 720p
Configurações de vídeo: Lowest

Configuração recomendada
Sistema operacional: Windows 7 SP1, Windows 8.1, Windows 10 (apenas versão 64-bits)
Processador: Intel Core i7- 3770 @ 3.5 GHz ou AMD FX-8350 @ 4.0 GHz
Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 760 ou AMD R9 280X (3GB VRAM com Shader Model 5.0) Memória: 8GB RAM
Resolução: 1080p
Configurações de vídeo: High

Screenshot de Assassin's Creed Origins

Assassin's Creed Origins vai sair em 27 de outubro, com versões para PC, PlayStation 4, e Xbox One.

Estará disponível nas versões simples, Deluxe (inclui mapa do jogo, trilha sonora, missão Ambush at Seas, Desert Cobra Pack, e três pontos de habilidade) e Gold (mesmo conteúdo da Deluxe e também o passe de temporada).


Receba mais sobre "Confira os requisitos mínimos e recomendados para jogar Assassin's Creed Origins no PC" e outros assuntos interessantes gratuitamente no seu e-mail.
Não se esqueça de confirmar seu cadastro, basta clicar no link que será enviado para seu e-mail.
Ou se preferir você pode receber por RSS ou pelo Twitter.


Compartilhe a notícia: